ELETRI CAR

ELETRI CAR

DIANA, SACOLÃO NEIDE E FILHO

DIANA, SACOLÃO NEIDE E FILHO

BALNEÁRIO PIRAPORA

BALNEÁRIO PIRAPORA

MADEIREIRA MOVELAR E DROGARIA PREÇO BAIXO

MADEIREIRA MOVELAR E DROGARIA PREÇO BAIXO

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Gilbués registra a maior temperatura do País e Piauí vive estado de alerta

Se virou um tormento para o piauiense conviver com o intenso calor registrado neste mês de agosto, nos próximos quatro meses do ano o desconforto diante das altas temperaturas vai piorar ainda mais. A previsão é do setor de Meteorologia da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Semar).
Segundo levantamento feito pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), das dez maiores temperaturas registradas no Brasil, cinco foram identificadas em municípios piauienses: Oeiras (39,4ºC),  Floriano(39,7ºC), São João do Piauí (39,6ºC), Bom Jesus (39,3ºC), sendo a maior do país na cidade de Gilbués (40,1°C), município localizado no extremo Sul do Estado.
Em entrevista à TV Cidade Verde, nesta quinta-feira (18), a gerente de Hidrometeorologia da Semar ,Sônia Feitosa, alertou que, mesmo com os registros, o período crítico de calor ainda não começou e a condição vai se intensificar nos próximos meses. “Daqui para frente a situação vai piorar e a temperatura em algumas cidades vai ultrapassar 40ºC, principalmente quando começar o período do B-R-O-Bró, que vai de setembro a dezembro”, prevê Sônia.  
O INMET também registrou os menores índices de umidade relativa do ar no Piauí.  Em Caracol, cidade localizada no Sul do Estado, o percentual chegou a 11%, caracterizando estado de emergência. A Organização Mundial de Saúde recomenda que o índice ideal para a saúde humana é de,pelo menos, 60%.
A baixa umidade contribui para incêndios. Somente em 2016 foram registrados 2.049 focos de queima, 809 apenas neste mês.  “A umidade relativa do ar é inversamente proporcional às temperaturas, ou seja, quanto maior a temperatura, menor a umidade. Os meses compreendidos entre agosto e dezembro são caracteristicamente secos, com altas temperaturas e baixa umidade, que deve continuar atingindo níveis críticos em todas as regiões do Estado. A tendência é de continuidade de dias quentes e de baixa umidade do ar, aumentando assim os riscos ao meio ambiente, o que inclui a flora, fauna, recursos hídricos e também traz riscos à saúde humana”, esclarece Sônia Feitosa.
Primeiras chuvas caem em outubro
Em 2016 o período chuvoso,  de acordo com a meteorologista, deve começar mais cedo que em 2015. A previsão é que, na segunda quinzena de outubro, devem cair as primeiras chuvas, na região sul do Piauí. O motivo é a atuação do fenômeno climático La Niña, que provoca o resfriamento no oceano Pacífico e causa o aumento das precipitações no nordeste do Brasil.
Izabella Pimentel  (especial para o cidadeverde.com)
redacao@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário