ELETRI CAR

ELETRI CAR

DIANA, SACOLÃO NEIDE E FILHO

DIANA, SACOLÃO NEIDE E FILHO

ANUNCIANTES JULHO

ANUNCIANTES JULHO

BALNEÁRIO PIRAPORA

BALNEÁRIO PIRAPORA

MADEIREIRA MOVELAR E DROGARIA PREÇO BAIXO

MADEIREIRA MOVELAR E DROGARIA PREÇO BAIXO

SKEMA 10 SET

SKEMA 10 SET

terça-feira, 30 de setembro de 2014

CARAVANA CHEGOU O ZÉ REALIZOU GRANDE COMÍCIO NO BAIRRO DOS ULISSES
















A CARAVANA CHEGOU O ZÉ intensifica a campanha e realizou mais um grande Comício desta vez no Bairro dos Ulisses logo após o comício um grande arrastão, contando com muitas lideranças políticas e a participação popular.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

CARAVANA CHEGOU O ZÉ REALIZOU COMÍCIO NA LOCALIDADE 4 BOCAS








Caravana chegou o Zé realizou no último sábado dia 27 de Setembro um grande comício na Localidade 4 bocas, reunindo várias lideranças políticas de Cocal.

sábado, 27 de setembro de 2014

Wellington Dias é chamado de 'covarde e fujão' ao faltar a debate realizado pela TV Antena 10


Candidatos ao governo participam de debate na TV Antena 10

O candidato Wellington Dias faltou ao debate e alegou que estaria sendo tratado de maneira diferente pela emissora para justificar a ausência.

GERMANA CHAVES, DO GP1
Atualizada em 27/09/2014 - 02h06
A TV Antena 10 realizou debate na noite de sexta-feira (26) com os candidatos ao governo do Piauí. O confronto denominado “Fogo Cruzado” foi mediado pelo apresentador e jornalista, Douglas Cordeiro. Iniciando às 22h59 o debate não contou com a presença do candidato do PT ao Governo, senador Wellington Dias.

Ao iniciar o programa, o apresentador explicou que a coligação “A Vitória com a Força do Povo” enviou correspondência à direção da emissora alegando que a TV não estaria dispensando a Wellington Dias, tratamento igual aos demais postulantes ao Palácio de Karnak.
Imagem: GP1Candidatos divulgam agenda(Imagem:GP1)Candidatos divulgam agenda
Douglas Cordeiro leu uma mensagem da direção da TV Antena 10 onde reafirmou tratamento igual aos sete candidatos ao governo do Estado.

Vale lembrar que Wellington agiu de maneira igual ao seu candidato a senador, Elmano Férrer (PTB), que nas eleições de 2012, quando disputava reeleição para prefeitura de Teresina, também faltou ao debate “Fogo Cruzado” alegando, à época, que também estaria sendo tratado de maneira diferente dos seus adversários.


Ausente, Wellington foi "bombardeado" pelos adversários e chegou a ser chamado pela candidata Lourdes Melo de “covarde e fujão”. Zé Filho também lamentou a “fuga” de seu principal adversário e lembrou que a postura do petista “é um desrespeito ao povo do Piauí”.

Já Maklandel Aquino afirmou que Wellington Dias não fazia falta nem no debate e nem no Governo. Mão Santa garantiu ainda que o candidato do PT contou 180 mil mentiras ao povo piauiense.

Diferente do petista, Zé Filho (PMDB), Mão Santa (PSC), Daniel Solon (PSTU), Lourdes Melo (PCO), Maklandel Aquino (PSOL) e Neto Sambaíba (PPL) participaram do debate.

Debate em tempo real

Atualizada às 23h03 - O candidato Wellington Dias não compareceu ao debate. O mediador Douglas Cordeiro informou que a TV Antena 10 foi pega de surpresa por uma correspondência da coligação “A Vitória com a Força do Povo”, da qual o petista faz parte, informando que o mesmo não iria mais participar do debate. Foi alegado que a emissora estaria tratando Wellington Dias de forma desigual. Fato que foi negado pela direção da TV.

Atualizado às 23h05 – 
Mão Santa foi o primeiro a ser questionado sobre a arrecadação do Estado. O candidato do PSC lembrou que quando governou o Piauí, trouxe muitas industrias e conseguiu uma grande arrecadação financeira.

Em seguida Daniel Solon questionou Mão Santa sobre financiamento de campanha. O candidato cristão afirmou que nunca governou ao lado dos ricos. “Sempre estive ao lado dos pobres. Governei pra eles. Varias obras sociais, dando oportunidade aos pobres”, disse o candidato do PSC.

Atualizado às 23h13 – Zé Filho perguntou a Mão Santa como ele via o caso dos R$ 180 mil reais. Mão Santa disse que Wellington é casado com a mentira. “O partido dele já transportou dinheiro na cueca e agora ele inova com dinheiro no banco de um carro”, disse o candidato do PSC.

Zé Filho disse que Wellington se faz de coitado e lembrou que o petista deveria aproveitar os debates para se explicar. O governador disse que todo o Piauí sabe dos escândalos em que Dias já se envolveu.

Mão Santa completou dizendo que Wellington é ingrato com os próprios companheiros como: o deputado Jesus Rodrigues e Nazareno Fonteles.

Atualizado às 23h18 – Lourdes disse que Wellington fugiu e desrespeitou os adversários e o povo do Piauí. “É uma covardia sua. O senhor é um fujão. O senhor tem as mãos sujas de sangue com as mortes da barragem de Algodões”, disse Lourdes Melo sobre Wellington.

Atualizado às 23h24 – Neto Sambaíba lamentou a ausência de Wellington. “Realmente é um fujão”, reforçou Sambaíba.

Atualizado às 23h28 –
 Maklandel Aquino foi questionado sobre suas propostas para promover a interligação dos municípios do Piauí. Ele explicou que pretende investir em conferências municipais e regionais para conectar as cidades.

Em seguida, Mão Santa disse que quando governou o Estado promoveu o desenvolvimento da região Sul piauiense.

Maklandel disse que pretende estruturar a Eletrobrás para garantir o desenvolvimento do Piauí.

Atualizado às 23h37 – Daniel Solon lembrou do colapso de energia que o Estado vive e questionou Maklandel sobre a privatização de instituições.

Aquino disse que é necessário revitalizar a Eletrobrás e a Agespisa. “Situação vexatória, pois tem bairros abastecidos por carros-pipa. Vamos resolver esses problemas também com uma gestão compartilhada”, falou.

Atualizado às 23h45 - Zé Filho foi questionado porque o povo deve dar oportunidade para que ele permaneça no Governo. Zé disse que estava pouco tempo no cargo e que pretende continuar para desenvolver o Estado.

O governador também lamentou a ausência de Wellington. “Se ele não tem culpa no cartório deveria ter vindo para dirimir qualquer dúvida do povo do Piauí. Mas, ele falta a mais um debate como fez em outras ocasiões. Só temos a lamentar esse desrespeito com o povo”, disse Zé Filho.

O governador afirmou que está trabalhando para melhorar o Piauí. “Já melhoramos a saúde e a educação do Piauí. É isso que queremos, melhorar muito mais”, destacou Zé Filho.

Atualizado às 23h59 – Neto sambaíba foi questionado sobre suas propostas para mobilidade urbana. Sambaíba disse que falta engenharia de trânsito para ciclovias e motovias.

O candidato do PPL revelou ainda que, se for eleito, vai criar uma central para que os mototaxistas tenham mais segurança. “Além de investir na educação de trânsito”, acrescentou.

Atualizado às 00h09 – Mão Santa questionou a Sambaíba como ele pretende tratar a cultura. Neto disse que pretende trazer a Secretaria de Cultura para que sejam realizadas ações para fomentar a cultura no Estado.

Atualizado às 00h16 –
 Daniel Solon foi chamado a se pronunciar a respeito das ações para combater o desemprego. “Construir uma empresa pública de obras, saneamento básico”, disse Solon.

Em seguida, Zé Filho perguntou que programa o candidato do PSTU teria para melhorar a vida das pessoas. “Zé Filho você tem um governo maquiado. Falta merenda escolar. O senhor é um produto de marketing”, atacou Solon.

Em resposta, Zé Filho disse que Daniel não tinha propostas para melhorar a vida do piauiense e que só sabe criticar. “Temos o programa do leite, a carreta da mulher. Programa para dividir o IPVA em dez vezes. Mostre candidato o que você tem para fazer. Deixe que os outros nos critiquem”, retrucou o governador.

Atualizado às 00h26 – Na vez de Wellington Dias, Neto Sambaíba fez a pergunta que faria ao petista. “Porque ele aumentou o valor da carteira de moto, para que ficasse no mesmo valor da carteira de carro”, questionaria o candidato do PPL.

Neto disse que existem no Piauí cerca de 400 mil motos e que a maioria dos motoristas não está habilitado. “isso aconteceu no governo de Wellington Dias”, reforçou Sambaíba.

Atualizada às 00h32 - 
Em seguida Maklandel disse que Wellington não fazia falta nem no debate e nem no governo do Estado.

Atualizado às 00h36 –
 Foram iniciadas as considerações finais com o candidato Maklandel Aquino que afirmou ser o nome capaz de melhorar o Estado. “Você vai ter a chance de cuidar daquilo que é seu. Resolver o problema da água. Construir um Estado digno e decente”, disse.

Atualizado ás 00h38 -
 Neto Sambaiba seguiu agradecendo a TV Antena 10 e ao povo do Piauí. “Fomos bem tratados e não temos reclamação alguma. Quando chegar a urna digite o nosso número. Seu direito de mudar é livre no dia 05 de outubro. Estou preparado em conhecimento e equilíbrio emocional”, afirmou Sambaíba.

Atualizado às 00h40 - Lourdes Melo, em suas considerações finais, disse que esta participando da campanha para mostrar a necessidade de uma renovação. “Os maiores que têm possibilidade de ganhar estão iludindo. Só a classe trabalhadora pode fazer essas mudanças de fato. Os pequenos também metem, pois sabem que não vão ganhar as eleições. Só vamos melhorar com condições de trabalho, reforma agrária e salário de R$ 3.500 reais”, declarou.

Atualizado às 00h42 –
 Zé Filho pediu ao Piauí a oportunidade de continuar governando o Estado. “Para melhorar a saúde, a educação, temos coragem de enfrentar os problemas de cabeça erguida. Queremos um Piauí com estradas novas, com programas na área da saúde. Temos um programa para dividir o IPVA em dez parcelas sem juros. Também quero pedir desculpas ao povo do Piauí pela ausência do candidato Wellington Dias que não teve a coragem de vir aqui explicar muitas coisas ao Piauí”, frisou Zé Filho durante as considerações finais.

Atualizado às 00h44 – Daniel Solon afirmou que as eleições não são democráticas. “Questionamos o financiamento privado de campanha. Após as eleições o PSTU vai estar junto com você na luta. Construir um modelo para questionar a desigualdade. Eu quero ainda deixar meu repúdio pela falta de Wellington Dias aqui hoje”, disse o candidato do PSTU.

Atualizado às 00h46 – 
Mão Santa também agradeceu e disse que é candidato pelo amor ao Piauí. “Quem ama cuida. Aqui plantaram a desesperança. Vamos plantar sentimento cristão e buscar a verdade. O Ausente é a própria mentira. Ele já enganou o Piauí e mentiu demais. Meu pai dizia que quem mente rouba. Ele é a própria mentira. Tenho 180 mil mentiras que ele disse ao povo do Piauí”, falou Mão Santa em referência a ausência do candidato Wellington Dias ao debate.

Atualizado às 00h52 - O debate foi encerrado com os agradecimentos do jornalista Douglas Cordeiro, que mais uma vez, lamentou a ausência de Wellington. 

Deputada Juliana Moraes Souza participa de reunião política em Piracuruca


0

juliana 05A deputada estadual e candidata a reeleição Juliana Moraes Souza (PMDB), participou de reunião com lideranças politicas e simpatizantes em Piracuruca na noite desta ultima quinta-feira (25/09) na residência do vereador Everaldo Gomes.
A reunião politica organizada pelo vereador Everaldo o principal apoiador da candidatura da deputada Juliana a uma vaga de deputada estadual, reuniu varias lideranças de toda a cidade, onde se fizeram presente para demostrar o seu apoio a deputada  PMDBista.
Durante a reunião com lideranças amigos e correligionários prestaram uma homenagem a deputada.
Veja Fotos:
juliana 01juliana 03juliana 04juliana 06

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Em debate, candidatos duelam sobre investimento e infraestrutura

  •  Foto: Wilson Filho
  • Foto: Wilson Filho
  • Foto: Wilson Filho
  • Foto: Wilson Filho
  • IMG_3082.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3075.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3066.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3052.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3051.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3047.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3045.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3041.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3038.jpgFoto: Wilson Filho
O terceiro bloco do debate da TV Cidade Verde foi dedicado aos temas livre e ao confronto entre os candidatos. Cada um escolheu a quem destinar seus questionamentos. Entre os assuntos mais recorridos estavam investimentos e infraestrutura. 
Daniel Solon perguntou para Zé Filho sobre problemas na saúde pública. “Estou pagando contas atrasadas. Perdemos R$ 30 milhões com indenizações às vítimas da barragem de Algodões. Muitos foram governadores e não fizeram nada. Não posso pagar por todos os problemas que o Piauí tem hoje. Quero pedir apoio aos senadores que estão aí. Não vi recursos de nenhum deles para o Piauí. Só muita conversa”, reagiu o atual governador.
 “Até dezembro do ano passado estava tudo bem. Agora, porque o senhor é candidato diz que Wellington Dias não presta mais. Tem muita gente morrendo por falta de atenção. Tudo isso é culpa sua que está no governo há muito tempo”, disse Daniel Solon. 
Em sua oportunidade, Maklandel Aquino perguntou para Wellington Dias sobre investigações por casos administrativos. “Você acha normal dizer que não sabia de tudo e culpar apenas os colaboradores?”, questionou. “Tive todas as contas aprovadas. Não respondo por nenhum inquérito administrativo sobre a gestão. Mas vim tratar de propostas. Quero tratar a segurança como prioridade pelo descaso que se encontra aí. Vou decretar calamidade e trazer a força nacional no primeiro momento”, reagiu Wellington Dias.
Recursos públicos
Lourdes Melo perguntou para Zé Filho sobre verbas para a conclusão de obras públicas inacabadas. “Nosso governo é um livro aberto, se tem um candidato que fala a verdade é o Zé Filho. Recebemos o Estado em 2010 com buraco com mais de R$ 380 milhões de reais. Estamos trabalhando para equilibrar o Piauí”, explicou o candidato a reeleição. “As eleições são sujas. Temos um cassado entre nós e o Zé Filho é coligado com o PSDB e vai seguir a mesma linha do secretário Kleber Montezuma que persegue os professores”, disse Lourdes. 
Barragem de Algodões
Neto Sambaíba questionou Wellington Dias sobre a tragédia. “O senhor tinha um relatório dizendo que ia cair e não fez nada”, criticou. “Uma mentira dita muita vezes, repetida, se torna verdade. Mas quero falar de propostas. Queremos dar educação para pessoas que pararam de estudar por algum motivo. O Estado precisa de pessoas qualificadas. Vamos organizar o Estado observando a demanda por profissionais e incentivando o Pronatec”, defendeu o petista. 
Caso dos R$ 180 mil
Neto Sambaíba ainda cobrou explicação sobre a origem do dinheiro encontrado em carro de um primo do candidato Wellington Dias. “O povo quer saber: o dinheiro é seu ou de seu primo?”, perguntou. “Quero divulgar uma inovação. Vamos fazer cadastramento de pessoas sem teto nos programas de habitação”, reagiu o petista.
Indústrias
Mão Santa afirmou que quando governador atraiu empresas e que Wellington Dias deixou a Suzano “escapar”. “Quando sai do mandato o projeto da Suzano estava em andamento, o Centro de Convenções estava em andamento. Vou buscar terminar tudo. Fato é que tenho compromisso de continuar as obras inacabadas. Estou preocupados com a situação do Estado:  fornecedores que prestam serviços e não recebem; medicamentos estão faltando. Agora, me sinto mais maduro e seguro. Vou buscar equipe competente para reorganizar o Estado como fiz antes”, explicou. “O senhor casou com a mentira. Assis Carvalho passou pelo Detran, Agespisa tem mais de 200 processo. Na saúde foi aquele escalhabro. Tocaram fogo na secretaria”, disse Mão Santa.
Lívio Galeno
liviogaleno@cidadeverde.com

Em debate, Zé Filho e Sambaíba trocam farpas e acusações com Wellington Dias


  • IMG_3036.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3035.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3034.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3032.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3031.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3030.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3028.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3026.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3025.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_3023.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_2999.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_2993.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_2976.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_2969.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_2964.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_2953.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_2950.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_2947.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_2943.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_2935.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_2925.jpgFoto: Wilson Filho
  • IMG_2923.jpgFoto: Wilson Filho
No debate da TV Cidade Verde, realizado nesta quinta-feira (25), os candidatos ao governo do Piauí miraram suas perguntas para o petista Wellington Dias, que teve de responder a cinco dos sete questionamentos somente em um único bloco. O clima ficou agitado quando foram abordados o rompimento da barragem Algodões I, em Cocal, e a apreensão de dinheiro com um assessor do senador do PT a caminho do Piauí.
 O governador Zé Filho (PMDB) perguntou a Wellington Dias se o petista já marcou o depoimento no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o processo que o indicia pelas mortes no rompimento da barragem Algodões I, em Cocal, quando era governador. "A cada eleição nós temos essas pessoas que acreditam que é possível passar a vida inteira tirando o proveito de uma tragédia", rebateu o candidato do PT, acusando o atual governo de atrasar por três meses o repasse de recursos para as vítimas. Sobre o processo, Wellington classificou a ação como "sem pé, sem cabeça", que quer puní-lo por um "acidente natural" com uma barragem que não foi feita em seu governo.
Zé Filho reagiu afirmando estar pagando uma dívida de R$ 30 milhões deixada por Wellington com as vítimas de Algodões I. Wellington reafirmou que o pagamento está atrasado pelo governo atual e acusou o candidato do PMDB de demagogia, na tentativa de esconder escândalos de sua gestão. O petista disse ainda que não foi notificado para depor no STF, mas três dos quatro processos contra ele já foram arquivados. 
Apesar do confronto direto entre os principais candidatos, foi na pergunta de Neto Sambaíba que o clima do debate esquentou. O candidato do PPL questionou se Wellington Dias acha que o povo do Piauí acredita na versão de seu motorista. O petista reagiu e acusou: "Eu sei e o povo do Piauí sabe porque você está fazendo essa pergunta. E eu sei a serviço de quem", declarou. O candidato ainda acusou o portal de notícias 180 graus de ser "pago para estar a serviço de muita coisa ruim nesse estado". "Nós vivemos uma situação de falta de ética na política e no jornalismo por parte de algumas pessoas, mas o povo sabe separar isso", afirmou, desmentindo informações de que a apreensão de dinheiro com seu funcionário estaria relacionada a sua campanha eleitoral. 

"Eu sei e o povo do Piauí sabe porque você está fazendo essa pergunta. E eu sei a serviço de quem"
Wellington Dias para Neto Sambaíba
"Eu não estou a serviço de ninguém, eu estou a serviço do povo. Por que o senhor não assume que o dinheiro é seu?"
Neto Sambaíba para Wellington Dias

Neto Sambaíba reagiu. "Eu não estou a serviço de ninguém, eu estou a serviço do povo. A corrupção de um governo nasce em uma campanha. Campanha limpa, governo limpo. Campanha suja, governo sujo. Por que o senhor não assume que o dinheiro é seu?", insistiu. Do outro lado, Wellington Dias repetiu a acusação de que o candidato do PPL estaria a serviço de terceiros. Sambaíba pediu direito de resposta, que foi negado. 
Regra permitiu perguntas livres
Mão Santa (PSC) parecia não saber que poderia perguntar para Wellington Dias mesmo depois dos adversários já terem questionado o petista. Com a permissão dada pela regra, o ex-governador questionou o fim dos programas Luz Santa e Sopa na Mao. "Podia botar Sopa do Wellington, mas não podia cortar", reclamou. O candidato do PT afirmou que os programas da gestão de Mão Santa foram substituídos por outras ações sociais mais amplas. 
No bloco, a primeira a perguntar foi a professora Lourdes Melo (PCO), que acusou o petista de ter as "mãos sujas de sangue". "O senhor ainda tem coragem de pedir voto para o povo piauiense?", questionou. Wellington Dias afirmou que todas as suas contas foram aprovadas e não responde a processo por questões do seu governo. Disse ainda que foi no seu mandato de governador que o concurso público foi usado para contratar professores. 
Lourdes Melo reagiu: "Eita candidato que mente! Eu entrei há 25 anos no Estado, não foi no seu governo. Naquela época já tinha concurso". A candidata acusou Wellington Dias de ter sucateado o Iapep, cortando o auxílio funerário. O petista reagiu e disse que na gestõa atual os profissionais não estariam recebendo o repasse do plano de saúde do Estado. O candidato ainda ganhou direito de resposta para rebater as acusações da professora. 
Daniel Solon (PSTU) também perguntou ao petista sobre financiamento público de campanha. Citou o dinheiro apreendido com o assessor do senador e também o episódio de 2010, quando um carro foi apreendido com dinheiro e material de campanha do candidato a governador Wilson Martins (PSB), que tinha Zé Filho (PMDB) como vice. O atual governador ganhou direito de resposta e afirmou que não pode responder pelos atos dos outros, "a não ser se eu tivesse um motorista particular meu que fosse pego com alguma coisa que parece ser irregular". 
Na resposta, Wellington Dias negou estar envolvido em qualquer processo sobre a apreensão de dinheiro. "Lamento o uso eleitoreiro de forma rasteira, de forma baixa. Aliás, o que tem mais acontecido nesses dias é a baixaria", disse. Sobre financiamento de campanha, o candidato defendeu a reforma política, também com coincidência de eleições e o fim da reeleição. Segundo Dias, um plebiscito seria importante para deixar o cidadão mais seguro quanto as mudanças. Solon reagiu afirmando que os principais candidatos governam para os ricos. "Este estado está privatizado. Todos os recursos que deveriam ir para a saúde pública estão indo para as grandes empresas".
Outras perguntas
Maklandel Aquino (PSOL) foi o único a perguntar para Zé Filho (PMDB). O socialista citou a aliança do governador com o PSDB e questionou se o gestor concorda com a privatização de órgãos públicos. Zé Filho defendeu que o Estado precisa buscar medidas quando não é atendido em seus pleitos no governo federal. "Se for a privatização, nós vamos discutir com as categorias", afirmou. Maklandel acusou o governador de ter participado das gestões que teriam sucateado os órgãos estaduais e afirmou que privatizá-los é atestar incompetência de gerir a coisa pública. O pmdebista reagiu e colocou a privatização como opção. "Isso não quer dizer que as pessoas estão sendo roubadas por isso". 
Wellington Dias questionou Daniel Solon sobre políticas para a agricultura. O socialista apontou que o Piauí, mesmo sendo rico em água e terra, precisa importar 92% do alimento que consome. "Os governos que passaram até agora só beneficiaram o agronegócio", disse Solon, defendendo que o Estado use suas terras devolutas para beneficiar as famílias sem terra. Já o petista aproveitou a réplica para acusar o governo atual de desmontar o Emater.  
Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com