ELETRI CAR

ELETRI CAR

DIANA, SACOLÃO NEIDE E FILHO

DIANA, SACOLÃO NEIDE E FILHO

ANUNCIANTES JULHO

ANUNCIANTES JULHO

BOI NÃO BERRA WAGNER SANTOS

BOI NÃO BERRA WAGNER SANTOS

BALNEÁRIO PIRAPORA

BALNEÁRIO PIRAPORA

MADEIREIRA MOVELAR E DROGARIA PREÇO BAIXO

MADEIREIRA MOVELAR E DROGARIA PREÇO BAIXO

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Em carta psicografada, Fernanda Lages teria dito que não cometeu suicídio

Em carta psicografada, Fernanda Lages teria dito que não cometeu suicídio

 Imprimir
O médium Fernando Ben leu, na tarde deste sábado (14), em um evento gratuito no Clube dos Diários, uma carta psicografada da estudante universitária Fernanda Lages, encontrada morta na obra do Ministério Público Federal, em agosto de 2011, quando tinha 19 anos. 
No encontro, o médiu explicou como funcionam as cartas psicografadas e, pouco depois, começou a ler algumas. A de Fernanda Lages foi uma das primeiras. Uma internauta que estava no local contou ao Cidadeverde.com alguns detalhes da carta da jovem:
"A primeira coisa que ela falou foi para a mãe. Disse que não era suicida. E pediu desculpas por não poder falar abertamente sobre sua morte física. Ela disse também que não tem permissão para falar porque não pode atrapalhar as decisões de livre arbítrio na terra. Ela disse que a justiça de Deus está sendo feita, mas a dos homens precisa de muitos detalhes para acontecer. Pediu desculpas à mãe por ter deixado de ouvir alguns conselhos e agradeceu à tia Cassandra Lages por ir atrás de respostas. Também pede que o pai ore antes de tomar qualquer decisão e agradece as orações, citando, inclusive, o nome de algumas igrejas. Ela pede que todos continuem orando para que ela continue evoluindo", conta a internauta.
As pessoas presentes no evento ficaram assustadas com a carta, que foi entregue à Cassandra Lages, no local. Mais algumas cartas foram lidas, inclusive a do menino Matheus Modesto, filho do médico Fernando Modesto, que morreu aos 6 anos após complicações de um transplante de medula feito para tentar barrar o avanço da Adrenoleucodistrofia, mais conhecida como Mal de Lorenzo. 

Jordana Cury
jordanacury@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário